Para os juízes, a supressão do direito dispensa demonstração dos prejuízos causados à trabalhadora, que prestava serviços ao Bradesco